Novidades

19 bons motivos para visitar o Tahiti em 2019!

Destaques / Homepage / Todos / Viagens / 11/04/2019

 

Afastado de tudo e de todos, o Tahiti, um encantador arquipélago de 118 ilhas, situado no Pacífico Sul, encanta tanto pelo ar paradisíaco quanto pelo charme da sua cultura.

Que é muito rica, alias. Suas lindas e exuberantes praias de areias branquinhas e águas de múltiplas tonalidades de azul são mais do que famosas no imaginário de milhares de turistas de todo o globo. No entanto, em meio ao que é relativamente conhecido sobre o destino, o Tahiti vai muito além e oferece 19 bons motivos e predicados que justificam a visita em 2019.

Confira aqui porque você deve colocar este tesouro no mapa das suas viagens em 2019:

  1. Viver e trazer para dentro de si o Mana

 

 

PAPEETE, FRENCH POLYNESIA – APRIL 19, 2017 : Polynesian women perform traditional dance in Tahiti Papeete, French Polynesia. Polynesian dances are major tourist attraction of luxury resorts of French Polynesia

 

Ao descer do avião e pisar no Tahiti você sentirá o Mana percorrendo pela sua espinha, preenchendo sua alma. A força vital das Ilhas transbordará por todo o seu espírito. Você sentirá seu gosto e cheiro no ar e ela fluirá por suas veias, como um bálsamo eterno, bastando evocá-lo para senti-lo novamente.

  1. Viver um romance ou se casar segundo os rituais da polinésia francesa.

 
 

Dizer o “sim” no paraíso, em uma inesquecível cerimônia polinésia tradicional é mais do que possível. Uma lista de agências e pessoas podem lhe ajudar com o evento e organizar tanto a cerimônia civil quanto a polinésia tradicional. Mais de 30 hotéis e resorts no Tahiti oferecem serviços customizados, capelas e pacotes de casamento. Consulte www.tahiti-tourisme.com.br

  1. Fazer uma viagem de cura e bem-estar.

     

Processed with VSCO with au5 preset

O Tahiti conta com Spas espetaculares, localizados em hotéis sublimes como o The Brando, em Tetiaroa, que oferece tratamentos holísticos incomparáveis inspirados em técnicas polinésias internacionais e ancestrais, em um cenário excepcional. Há outros igualmente fantásticos em hotéis como o Four Seasons e o St. Regis, em Bora Bora, o Intercontinental e o Manava Suite Resort, em Papeete, ou o Kia Ora, em Rangiroa. Lavagem corporal com baunilha, esfoliação corporal com areia e arroz, côco ralado e sal marinho, são apenas algumas, dentre as várias jornadas de Spa para se deliciar.

  1. Alugar uma embarcação e navegar por águas de cores indescritíveis

 

Repetindo a experiência dos maiores navegadores da história do mundo e seguindo a rota das canoas polinésias, você pode fazer sua própria viagem épica para descobrir ilhas fabulosas a bordo da sua própria embarcação, com tripulação disponível para navegar em itinerários flexíveis, à sua escolha. Lista completa de opções de empresas e fretamento você encontra em www.tahiti-tourisme.com.br

  1. Conhecer a cultura polinésia e adquirir seu belo artesanato

 

Tatuagem, tecelagem, bordado, entalhe na madeira e pedra, fabricação de tambores e pareus pintados à mão são itens típicos nos quais você encontrará a história e a cultura da polinésia traduzidas em arte. Na dança e nos ritmos, os tahitianos convidam o Mana a surgir do mar, descer das montanhas e emanar da alma de todos os homens e mulheres que foram atingidos por seu encanto hipnotizante.

  1. Viver os cenários dos quadros de Paul Gauguin, nas ilhas Marquesas

 

Mountain landscape at sunset in Nuku Hiva, French Polynesia. Panoramic view of bay and coast of main village Taiohae, port and capital of Nuku Hiva.

 

Conhecida como “Ilha de Paul Gauguin”, a majestosa e histórica ilha Hiva Oa com paisagens selvagens e indomadas, Tiki gigante de pedra esculpida e visões sobrenaturais, ofereceram inspiração para os olhares primitivos e poéticos do famoso pintor francês. As ilhas Marquesas também inspiraram palavras apaixonadas do poeta e cantor belga Jacques Brel. Ambos escolheram o arquipélago como seu local final de repouso. Hiva Oa é um paraíso onde a ancestralidade das Ilhas do Tahiti vive e respira.

  1. Participar do maior evento de Tattoo do mundo e fazer sua tatuagem

 

Hand of tattoo artist and a tattoo gun./Hand of skin master and a tattoo machine.

 

Evento internacional e cultural que teve início em 2015 e reúne mais de 15.000 visitantes, o famoso festival de tatuagem da Polinésia francesa, promove, protege e valoriza a tatuagem polinésia – sinais de beleza, e, em épocas anteriores, parte importante da vida, pois sinalizavam o fim da adolescência. Segundo a lenda, a presença do Tohu, o deus do tatau (tattoo) pintou todos os peixes e oceanos em suas cores e padrões, oferecendo a cada tatau uma essência de significado e vida. Foi nas Ilhas Marquesas que a arte da tatuagem atingiu seu estado máximo de desenvolvimento, em termos da grande riqueza e da complexidade dos temas.

  1. Hospedar-se em charmosas pousadas de famílias locais e viver o lifestyle dos habitantes

 

Typical polynesian house in Moorea island, French Polynesia, with a tropical garden

 

Tão únicas quanto as próprias ilhas, as acomodações locais apresentam a vida cotidiana da região, em pequenas hospedarias, hotéis familiares e pousadas autênticas, um modo profundo de se conectar com o lifestyle dos tahitianos. São propriedades de um a doze quartos ou bangalôs, nas praias, nas montanhas ou vales, ou dentro de uma vila, variando até uma casa de família ou casa privada com tudo incluso. Aqui você também descobrirá experiências culinárias singulares, no melhor estilo “farm to table” com ingredientes locais e receitas tradicionais

  1. Adquirir a rara pérola negra do Tahiti, em Fakarava

 

One Round Tahitian Black Pearl in a Black lip oyster shell.

 

As águas quentes de lagoa das ilhas e atóis são a escolha da natureza para o cultivo da pérola negra do Tahiti. Variando em preço, formato, cor ou tamanho, as gemas podem ser encontradas em lojas e fazendas de pérolas confiáveis. O epicentro do cultivo encontra-se nas Ilhas Fakarava, constituída por pequenas e adoráveis ilhotas que formam um anel ao seu redor. Fakarava, aliás, é o segundo maior atol dos Tuamotus, o maior dos arquipélagos Polinésios.

  1. Caminhadas em roteiros surpreendentes, de baixa, média ou alta dificuldade

 

Tropical forest trail in French Polynesia

 

Nem só de belas praias e hotéis incríveis vive o turismo no Tahiti. O esporte também se faz presente no destino e quem gosta de uma boa caminhada pode se aventurar pelas múltiplas possibilidades de rotas e paisagens disponíveis nas Ilhas. As trilhas oferecem percursos com diferentes níveis de dificuldades e incluem desde rotas litorâneas, que passam próximas a riachos remotos, até a travessia de rios, terrenos desafiadores, subidas à cumes que atingem mais de 2.000 metros de altura e rochas vulcânicas particularmente quebradiças. Para a prática, é de vital importância a contratação de um guia local. Fazer um check-up médico antes de viajar com tal finalidade também é recomendado.

  1. Observar pássaros marinhos raros, em reserva natural em Tetiaroa

 

Brown booby, Sula leucogaster, exotic birds standing on coral in the lagoon, french Polynesia

 

Os adeptos e praticantes de Birdwatching terão muito o que apreciar e observar no arquipélago de Tetiaroa. O destino é um verdadeiro santuário para os pássaros, tartarugas e outras espécies marinhas que vivem neste pedacinho de paraíso que fisgou o ator Marlon Brando em 1960, durante a filmagem de Mutiny on the Bounty. Entre as ilhotas, Tahuna Iti, a ilha dos pássaros, conta com uma reserva nacional para aves marinhas. Por lá é possível avistar animais raros, como fragatas, popas, caudas de palha (phaetons), alcatrazes marrons e outros petréis. Complete a experiência hospedando-se no The Brando, hotel pertencente à família do ícone hollywoodiano.

  1. Jogue golf em um campo projetado pelo grande Jack Nicklaus, em Moorea, e depois assista à Dança do Fogo, um balé de chamas dançantes na praia

 

Moorea é uma das ilhas mais famosas da Polinésia Francesa e por toda a sua extensão territorial pipocam pontos de interesse para os turistas que a visitam. Entre eles, há de se destacar as praias perfeitas para mergulhos de snorkel, hotelaria estrelada, trilhas incríveis e outros dois atrativos. O primeiro é o campo de golf Green Pearl, de 18 buracos, que foi projetado por ninguém menos que Jack Nicklaus, o maior campeão de torneis Majos de todos os tempos. Já o segundo diz respeito à Dança do Fogo, tradição polinésia que consiste em um balé de chamas dançantes ao anoitecer, na área da praia.

  1. Visitar os templos sagrados Marae de pedras mecca, em Huahine

 

French Polynesia marae old stone structure on the shore of the lake Fauna Nui, Maeva, Huahine Nui island

 

A encantadora Huahine, com suas florestas deslumbrantes, paisagem intocada e vilas exóticas é um dos segredos mais bem guardados do Tahiti. Ali é possível viver como um local e visitar lugares incríveis, como os Templos Sagrados Marae, que são feitos de pedra mecca. Há mais de 200 estruturas arqueológicas de pedra na ilha, que além de sobreviverem por séculos, estão dispostas próximas umas das outras. Outro atrativo que faz do destino um roteiro interessante é o fato de que evidências históricas apontam Huahine como a ilha com a data de registro de ocupação humana mais antiga de toda a Polinésia Francesa.

  1. Visitar as plantações de baunilha em Raiatea e Taha’a

Taputapuatea Marae of Raiatea French polynesia the most important archeological site unesco world heritage

Woman tourist in a Vanilla plantation. La Digue island rural landscape. Nature of Seychelles islands

As ilhas de Raiatea e Taha’s são circundadas pelo mesmo recife, compartilham a mesma imensa lagoa e apresentam atrações distintas. A primeira, Raiatea, é considerada pelos polinésios antigos como um solo sagrado e é ideal para a pratica de mergulhos noturnos ou diurnos. No sudeste da ilha, inclusive, em Marae Taputapuatea há um templo vulcânico acidentado que oferece uma visão do passado, de quando as tribos dominavam a polinésia. O local é reconhecido como Patrimônio Mundial da UNESCO em 2017 e vale ser visitado. Já a segunda extensão de terra, Taha’a, é silenciosa, de beleza simples e apresenta o contorno de uma flor se vista de cima. O ar com cheiro de baunilha, que é levado pela brisa que flui pelos morros, já indicam a presença de numerosas fazendas de baunilha, um dos atrativos locais que podem ser visitadas pelos turistas. Os tours incluem caminhadas entre as fileiras de orquídeas, trepadeiras e uma demonstração do processo de polinização e cura.

  1. Receber o seu café da manhã na Va’a, típica canoa polinésia, em Bora Bora

Bora Bora é um destino de muitos predicados. Suas praias de areias brancas são um verdadeiro convite ao desfrute em suas águas azul-marinho, onde os peixes de cores tropicais animam os jardins de corais. Mas, sem sombra de dúvidas o destaque do destino fica por conta do café da manhã servido na Va’a, que é uma autêntica experiência polinésia. A refeição é trazida até a sacada privativa dos bangalôs ou até as vilas sobre as águas, por meio de uma canoa polinésia, comumente decorada com flores. A embarcação transporta polinésios que servem frutas frescas, bolos e sucos, enquanto as águas ao redor começam a dar as boas-vindas ao sol nascente do Pacífico Sul. É uma experiência sem igual!

Curiosidade: O Va’a vai muito além do tradicional café da manhã polinésio. Por lá, a embarcação é tida como esporte e ao longo do ano são realizadas diversas competições envolvendo a categoria. Caso do Hawaiki Nui Va’a, a mais longa e mais difícil corrida de canoa polinésia do mundo. Ela acontece anualmente, há 27 anos, na Polinésia Francesa e conta, inclusive, com atletas brasileiros dentre os participantes – em algumas edições até, equipes brasileiras completas participam do campeonato. Na Polinésia, esse esporte para os tahitianos, tal como o futebol para os brasileiros, é uma questão cultural.

  1. Mergulhar nos atóis de Rangiroa, a capital mundial da prática

 

Over and under sea surface with an island and a shark underwater, Tiputa pass, Rangiroa atoll, Tuamotu, French Polynesia, Pacific ocean

 

Talvez nenhum outro lugar do planeta ofereça condições tão apropriadas e propicias para a prática de mergulho como Rangiroa. O local, aliás, é o segundo maior atol do mundo e está disposto em uma região com cerca de 240 ilhotas que se unem por 177 quilômetros envolto de uma profunda lagoa. O belo circuito de ilhas é cercado por diferentes tipos de oceano, Moana-tea (Oceano Pacífico), que define a lagoa e Moana-uri (Oceano Selvagem), onde baleias, raias jamantas, golfinhos e tubarões desfilam entre os afortunados que viajam para vivenciar esta experiência.

  1. Observar a fantástica fauna marinha de Tikehau e viver o mundo de Jacques Cousteau

 

Beautiful tropical island in French Polynesia under and above water

 

Tikehau é um destino de contrastes. Em terra, os dias são tranquilos e passam de forma lenta e despretensiosamente, sob a ótica dos cerca de 500 taitianos que chamam este paraíso de lar e vivem dos recursos advindos do mar. Já fora dela, na vida sob a água, o ritmo imposto pela fauna marinha é bem mais acelerado e povoado. Segundo Jacques Cousteau, renomado oceanógrafo e inventor francês, a lagoa reúne a maior concentração de peixes de qualquer atol Tuamotu. As tartarugas marinhas e os tubarões negros são abundantes. Motivo este, inclusive, que torna o destino o lugar perfeito para observar a vida marinha de diferentes perspectivas.

  1. Hospedar-se nos famosos bangalôs sobre às águas

As icônicas acomodações flutuantes, criadas na década de 60, por três amigos provenientes da Califórnia, representam a essência das Ilhas do Tahiti e alimentam o sonho e o desejo de milhões de pessoas que anseiam viver a incrível experiência de dormir em suítes luxuosas e equipadas com terraços privativos, piscinas de borda infinita ao lado da cama, redes, banheiras e pisos de vidro para contemplação dos peixes, arraias e inofensivos tubarões tropicais nadando logo abaixo dos seus pés.

  1. Montar um álbum físico ou digital com as fotos mais belas de toda a sua vida

          

Se antes da era digital o número de fotos em viagens de férias era delimitado pelo modelo de filme fotográfico, que poderia variar entre 12, 24 ou 36 exposições, hoje as possibilidades de poses são infinitas. Ainda mais se levarmos em conta a popularização das redes sociais e o fator destino. As lindas e exuberantes praias de areia branquinhas, os hotéis bangalôs, os cafés da manhã servidos no Va’a e a fauna marinha rendem fotos ótimas para serem postadas, compartilhadas e eternizadas em álbuns e porta-retratos.

P.S: Não esqueça a camisa florida e o colar de flores nativo. Por mais que seja uma foto clichê, ela será uma das mais incríveis!

 


Tags:,



Elite Magazine
A Revista Elite há 18 anos cria e acompanha as tendências do mercado de luxo.




Post Anterior

Audi apresenta Q4 e-tron conceito no Salão de Genebra

Próximo Post

Chefs Jean-Georges Vongerichten e Felipe Rodrigues preparam jantar especial no Palácio Tangará





Você também pode gostar de



0 Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais histórias

Audi apresenta Q4 e-tron conceito no Salão de Genebra

Versão de produção será lançada no fim de 2020 como o 5º modelo elétrico da marca Audi Já faz quase um ano desde...

11/04/2019