Galiléia

Descobrindo a Galiléia

Por Luis Seguessa



 Percorrer a terra onde Jesus Cristo cresceu e pregou é uma experiência que enriquece a alma. Chegamos à Galiléia em um dia de sol diáfano, como são quase todos os dias em Israel, já que ali chove muito pouco, pouquíssimo. Acabávamos de visitar Yardenit, o lugar no rio Jordão onde João Batista batizou Jesus. Alí chegam peregrinos dos mais remotos pontos do planeta para mergulhar em suas águas santas e serem batizados. Contam as escrituras, que outros acontecimentos ocorreram neste lugar. O livro de Josué menciona que os filhos de Israel cruzaram o Jordão frente a Jericó, quando chegaram à Terra Prometida. O profeta Elias dividiu suas águas e o cruzou com Eliseu em terra seca quando foi arrebatado e levado ao céu. Também se sabe que Naaman, o sírio, não queria mergulhar em suas águas para se curar de uma lepra, já que a cura lhe parecia pouco provável, mas ao ser convencido e entrar no rio, se curou imediatamente.

Ao chegar à Galiléia, a primeira imagem que avistamos foi seu grande lago de águas doces e azuis, rodeado de colinas e montes. A paisagem é realmente bela e ficamos perplexos com a assombrosa semelhança que tem com a Laguna del Sauce, em Punta del Este, Uruguai. Algumas pessoas já nos haviam falado disso, mas nesta viagem comprovamos com nossos próprios olhos esta semelhança. O lago da Galiléia cobre uma superfície de 165 km quadrados e é a principal reserva hídrica de Israel. Ao seu redor, se encontram vários povoados que foram testemunho da infância e dos ensinamentos de Jesus.
Nazaré
Seu nome em hebreu e árabe significa “a guardiã”. Em sua origem esta denominação devia-se principalmente à função estratégica que a aldeia tinha por situar-se no chamado vale de Esdredon. Mais adiante, seu nome ressoou na história como guardiã da tradição cristã.
A aldeia de Nazaré foi o lugar onde Jesus passou sua infância. Hoje, a cidade apresenta uma fisionomia muito complexa, do ponto de vista étnico-religioso. Além dos grandes grupos de árabes muçulmanos e de hebreus, que vivem praticamente separados – os primeiros na cidade velha, e os segundos, nos bairros novos de Nazaré Illit – existem algumas comunidades de árabes cristãos, católicos gregos, gregos ortodoxos, católicos romanos, entre outros.
O atrativo principal da cidade é a visita à Igreja da Anunciação onde o Anjo Gabriel apareceu à Maria para anunciar o nascimento de Jesus. Em frente à igreja da Anunciação, se encontra a igreja de São José, construída sobre a cova que serviu como oficina de carpintaria, e a poucos metros, está o bazar árabe de Nazaré, onde se podem comprar souvenirs.


Cafarnaum
Está situada ao norte do lago da Galiléia e ali Jesus se estabeleceu ao deixar Nazaré. Ali conheceu seus primeiros discípulos: Pedro, André, Santiago, João e Mateus, que eram pescadores. Jesus pregou e realizou muitos milagres neste lugar, entretanto não obteve o esperado arrependimento de seus habitantes.
É em nome dela que uma citação bíblica diz “E tu, Cafarnaum, que és erguida até o céu, até Hades serás abatida, porque se em Sodoma tivessem ocorrido milagres que ocorreram em ti, teria permanecido até os dias de hoje” (Mateus, 11.23). No século VII, a cidade foi destruída pelos árabes, e em 1891, foi tomada pelos franciscanos, os quais restauraram parte de sua sinagoga que hoje se pode visitar.
Tiberíades
Situada ao sudoeste do lago, Tiberíades é a capital da Baixa Galiléia. Foi fundada por Herodes ao redor do ano 20 a. c. e hoje é uma moderna cidade com uma oferta ampla de restaurantes e comércio para turistas. Suas termas minerais ao sul da cidade a transformaram em um balneário tão popular hoje como fôra na época dos romanos, dois mil anos atrás.
Nos acomodamos no hotel Scots próximo ao lago, um hotel boutique de grande encanto, que oferecia um café da manhã repleto de propostas cruas e desintoxicantes. É que em Israel é comum ver saladas e verduras nos buffets de cafés da manhã, aos quais se somam tâmaras, frutas, ervas naturais para infusões e até favos de mel.
O Monte das Bem Aventuranças
Neste monte Jesus pregou o Sermão da Montanha . É um lugar de grande beleza natural, repleto de flores e plantas. Vale a pena visitar a Igreja, construída pelos franciscanos na colina, e sentar-se nos jardins que dão para o grande lago da Galiléia, para meditar e orar.


O Monte Tabor
O monte de 660 metros de altura é a maior elevação da região. Do alto, se avista um magnífico panorama de Nazaré e do vale. Neste lugar, Jesus se transformou em frente a Pedro, Santiago e João. Diz a escritura que seu rosto resplandeceu como o sol e suas vestes se fizeram brancas como a luz.
Hoje há várias igrejas para conhecer, e uma excelente opção é chegar de bicicleta para desfrutar da paisagem e do bom clima de Israel, em um transporte ecológico. Nós fomos dessa região de Israel com a mesma sensação que sempre sentimos na Terra Santa. É difícil deixá-la e o grande sonho é voltar. É a Terra que Deus escolheu e sua energia está ali, pronta para quem quiser descobrí-la.


© 2010 - SIC Editora - Todos os direitos reservados