Novidades

Empreendedorismo de ELITE: Rafael Incao (Viajante Profissional)

Viagens / 25/04/2019

Transformar um hobby em um negócio é o sonho de muitos. Menos para Rafael Incao. Ele transformou a sua paixão por viagens em uma profissão. Atualmente, ele se dedica a conhecer os lugares mais incríveis ao redor do mundo para compartilhar suas percepções pessoais.

Além disso, usa toda a sua experiência para ajudar outras pessoas que também querem viajar pelo mundo, seja para adquirir bagagem e exeriência ou para fazer disso um negócio lucrativo.

Vitor Horvath: Rafa, antes da gente começar, eu queria que você falasse rapidamente o que é um Viajante Profissional. É possível realmente ser pago para viajar o mundo?

Rafael Incao: O termo “Viajante Profissional” para mim tem muito mais a ver com estilo de vida do que com uma profissão tradicional.

Hoje, conheço diversas pessoas que efetivamente são pagas para viajar o mundo. Uns são pagos para filmar hotéis, outros são pagos para escreverem, outros para dar dicas sobre os destinos.

Um Viajante Profissional, como eu entendo, é um profissional que arrumou um jeito de monetizar suas viagens. Por exemplo: eu escolhi seguir a linha educacional, ensinando outras pessoas a como viajar mais e melhor.

Como fui professor praticamente minha vida toda, eu só me reinventei. Ao invés de ensinar matemática como no passado, hoje ensino estratégias de como viajar, seja para um turista comum, seja para alguém que quer também se tornar um Viajante Profissional.

Influenciadores e Viagens

Vitor Horvath: É notável que o mercado de influenciadores no segmento de viagens cresceu muito, especialmente no que diz respeito à construção de nichos de autoridade no tema. Como você vê essa segmentação e qual é o desafio para quem quer se posicionar nesse mercado?

Rafael Incao: As pessoas gostam mais de viajar do que de comer chocolate. É a maior unanimidade que conheço. Pessoas comuns, como eu e você, podem usar as mídias sociais para compartilhar tudo o que vivem em suas viagens.

Algumas pessoas perceberam que podem transformar isso em um trabalho, ou seja, produzir conteúdo de viagem, seja em blogs e/ou mídias sociais, e gerar uma renda com eles. É realmente tentador: Ser pago para viajar o mundo.

Só que “viajar o mundo” é muito amplo. Existem viagens para todos os bolsos, para todas as idades, para todos os estilos e todos os roteiros imagináveis. É muita coisa.

Para se destacar em um mercado é preciso determinar a parte dele que você quer alcançar. É melhor ser um especialista em algo do que um generalista.

Pense na seguinte analogia: Se você tem um problema de saúde em seu coração, você vai querer consultar um cardiologista ou um clínico geral?

No mercado do viagens, vejo muitos iniciantes querendo ser o “clínico geral” no segmento. Tentando falar de tudo de maneira incompleta e apenas redirecionando seu tráfego a especialistas com nichos específicos.

Rafael Incao: Iniciando na Área

Vitor Horvath: Como produtor de conteúdo e mentor de profissionais nessa área, qual é o maior desafio que as pessoas enfrentam ao iniciar essa jornada? Onde a maioria das pessoas travam?

Rafael Incao: Muitas pessoas acreditam que para ter um negócio é necessário ter muitos seguidores e isso não é verdade. Conheço perfis com milhares de seguidores, alto engajamento e com dificuldade de monetizar.

Em contrapartida, conheço também perfis menores e mais nichados, que faturam alto.

A maioria das pessoas travam quando se trata de criar um negócio com renda previsível e escalável. Em geral, elas possuem um método e acabam fazendo do jeito que acham que é o certo.

Em meus processos de mentoria, eu mostro para meus clientes que eles podem produzir menos e de maneira mais assertiva. Produzir menos, ganhar mais e sem a necessidade desesperada de ganhar mais likes ou seguidores. Likes alimentam o ego, mas não pagam as contas.

Diferenciação de Mercado

Vitor Horvath: Qual é o segredo para driblar a infinidade de conteúdos disponíveis sobre projetos de viagem? Como se posicionar dentro de um mercado que parece estar saturado?

Rafael Incao: O mercado não está saturado. Na verdade, estamos apenas no começo de uma nova realidade de produção de conteúdo sobre o turismo. Este é um mercado de trilhões de dólares, ou seja, não se satura tão facilmente. Afinal, estamos falando de cerca de 10% do PIB Mundial.

O grande problema, a meu ver, é que falta segmentação. Todos querem ser especialistas de tudo que se refere à viagem. Não dá! Minha dica é não tentar cobrir todos os assuntos do mercado.

O segredo é ser conhecido como um resolvedor de problemas e um especialista nesse nicho.

Eu, por exemplo, quando escolhi ensinar outras pessoas a se tonarem viajantes profissionais, passei a produzir uma infinidade de conteúdo falando desse tema: o livro e curso de Viajante Profissional e o evento Viajar Para Sempre, que sou co-fundador.

Com esse conteúdo criado, hoje é praticamente impossível uma pessoa procurar pelo termo “Viajante Profissional” e não encontrar meu trabalho.

Visão das Marcas

Vitor Horvath: Na sua opinião, como as marcas e empresas do segmento deveriam encarar essa pluralização de canais, personificados nos influenciadores e viajantes profissionais? Qual conselho, como mentor, daria para um gestor de marketing da área?

Rafael Incao: Os produtores de conteúdos de viagem estão surfando uma ótima onda. Principalmente, aqueles que falam de um nicho específico.

Antigamente, as marcas gastavam milhões de reais para aparecer na televisão e em outras grandes mídias. Além disso, a maioria do público dessas mídias não querem comprar o produto que aparece no comercial. Muito dinheiro para pouco resultado.

Hoje, investindo muito menos é possível contratar um formador de opinião que já é reconhecido como resolvedor daquele tipo de problema.

Portanto, é muito mais vantajoso para uma empresa de turismo investir em um Viajante Profissional do que gastar milhões de reais para aparecer em um comercial de tv aberta.

Importância dos Mentores

Vitor Horvath: Como todo profissional da área, você foi mentorado e orientado por uma série de profissionais que ajudaram você a atingir os resultados que têm hoje. Qual é a importância de um mentor na jornada de um viajante profissional?

Rafael Incao: Um mentor é aquela pessoa que te ajuda a ter resultados maiores, melhores, de maneira mais fácil e rápida. Sem um mentor você estará à deriva, dependendo da sorte.

Muita gente acha que a força de vontade é suficiente para atingir tudo aquilo que querem. Eu discordo, pois conheço muitas pessoas que se esforçaram a vida toda e não tiveram grandes conquistas.

A verdade é que força de vontade por si só não adianta nada se estiver sendo aplicada na direção errada. Portanto, o papel de um mentor é ajudar o mentorado a encontrar a direção certa e ensiná-lo a caminhar com seus próprios pés.


Tags:, ,



Elite Magazine
A Revista Elite há 18 anos cria e acompanha as tendências do mercado de luxo.




Post Anterior

Uniworld promove tarde de degustação de vinhos de Bordeaux para clientes da L’Espace

Próximo Post

Agora ficou mais fácil para os brasileiros viajarem a Londres





1 Comentário

em 29/04/2019

Boa a matéria,

É bom ver pessoas que deram inicio a esta jornada na midia. O Rafael é uma das referências no Brasil quando o assunto é Viajar.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Mais histórias

Uniworld promove tarde de degustação de vinhos de Bordeaux para clientes da L’Espace

No final da tarde do dia 9, Beatriz Camargo e Nathália Lisse, respectivamente diretora da The Travel Corporation no Brasil...

25/04/2019